10ª Coluna Jogo de Cintura 05.05.2013 Amor de mãe, amor estranho!

Todos, de uma forma ou de outra, somos marcados pela presença de alguma pessoa em alguns momentos durante toda a nossa existência. Mas existe uma marca profunda em nossas vidas, cuja substituição jamais seria possível e cuja presença jamais seria suplantada: Mãe. Descrever os sentimentos de uma moça ou de uma mulher, ainda não mãe, as duas, seria até possível, mas depois do milagre da maternidade, tentar entender os sentimentos e as emoções de uma mãe, aqui está um dos problemas na esfera e saúde sentimental e emocional dos mais intrincados e complexos. Ao conviver com nossas amigas, sejam aquelas mais íntimas ou aquelas do bate-papo mais rápido, do encontro casual, da hora jogada fora numa roda de amigos, a gente vai aprendendo o doce e misterioso mundo e universo femininos. E não é fácil, pois há momentos em que nos vemos diante de grandes desafios e de grandes tribulações emocionais e afetivas. Há um quê de misterioso na estrutura psicofísica de uma mulher. Sei lá, mas acho que Deus se superou na criação da mulher na medida em que Ele entrelaçou, de forma única e inequívoca, vários sentimentos e várias nuances do seu poder criador. Numa mulher convivem facilmente os sentimentos da insegurança e da coragem avassaladora que enfrenta o mundo todo se for preciso; os sentimentos da iniciativa e da dependência emocional e física de seus afeiçoados; os sentimentos da disponibilidade e do profundo senso de posse e domínio, sobretudo quando seu território está sob perigo; os sentimentos de uma profunda espiritualidade e a preocupação, às vezes exagerada, com a aparência física e com o que os outros vão falar delas; os sentimentos de ternura inexplicável e de uma força cruel, capaz de levar qualquer um aos mais altos e sublimes píncaros como também aos mais profundos dos infernos. Aqui me lembro do antigo e saudoso mestre e diretor espiritual nos tempos de Seminário em Mariana, Monsenhor Antônio Russo: “Não pretendam nunca entender uma mulher em suas vidas, ou de leigos ou de consagrados; aprendam sempre a admirar sua tenacidade, sua coragem e sua extremada capacidade de amar, acima de tudo e contra todos.” Sentir esta ternura e usufruir deste amor são experiências únicas em nossas vidas. Sobretudo para nós homens, envolvidos com tantos afazeres e responsabilidades do nosso dia-a-dia. O lar é profundamente aquecido pelo calor amoroso de uma mulher dedicada e responsável, elemento este indispensável para que sejamos mais equilibrados e mais maduros em nossas tarefas e responsabilidades. Os desafios são enormes. Mas vale a pena a experiência do dia-a-dia. O amor de mãe, sobretudo, é muito diferente e muito especial, dado que dele precisamos desde os primeiros instantes de nossa concepção, num potente ato amoroso de Deus, que marcou indelevelmente nossas vidas pela presença de nossa mães. Quando uma mulher se torna mãe, seja lá de que maneira for, Deus planta em seu organismo uma capacidade tal de superação jamais vista no reino animal, o que, na verdade, não significa que ela não tenha seu coração despedaçado pela perda de um filho, de uma filha ou do próprio marido. Não. Mas Deus caprichou, ao colocar um sentimento tão puro e tão forte no peito de uma mulher. E precisamos aprender a reconhecer isso, de uma forma ou de outra. O amor de mãe é algo tão sublime e tão inesgotável, que não me canso de apreciar o brilho no olhar das mães que conheço e cujos sentimentos admiro, com uma pontinha de inveja de quem tem tanto amor e nem sempre sabe reconhecer a bênção que é o amor de mãe. Faço nesta semana uma afetuosa homenagem a todas as mães. E me uno a todos aqueles e aquelas que não têm mais a oportunidade de se recostarem no colo de uma mãe ou de sentirem o calor de seu abraço e a ternura de seus beijos e carícias. Se há algo maravilhoso no ser humano é a sua capacidade de expressar ternura e afeto. E as mães esgotam toda a potencialidade divina na expressão destes sentimentos. Por isso acho e sempre achei o amor de mãe deliciosamente estranho e divino. Deus abençoe as nossas mães! Beijo carinhoso em todas….. Contato: pe.jmcs@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *